Programa Leite Legal capacita 25 instrutores em Mato Grosso do Sul

mai 18, 2013   //   de admin   //   Blog  //  Nenhum Comentário

Com o objetivo de capacitar os técnicos que atuam junto aos produtores rurais da bovinocultura de leite em Mato Grosso do Sul, por meio do Leite Legal, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS), realiza nesta sexta-feira (17), às 8 horas, na Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul), capacitação para 25 profissionais.

O programa Leite Legal foi desenvolvido pelo Senar em parceria com o Sebrae Nacional e vai capacitar 81 mil propriedades por meio de treinamento teórico com carga horária de 16 horas/aula e visitas técnicas, formando em todo Brasil 5.400 turmas. Em Mato Grosso do Sul está prevista a capacitação de 1.000 produtores entre 2013 e 2014.

Esta é a primeira etapa da capacitação, que atenderá 11 instrutores do Senar e 14 da Secretaria Estadual de Produção e Turismo (Seprotur), parceira do programa. O foco é levar aos instrutores, conhecimento sobre os novos parâmetros da Instrução Normativa 62/2011, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Instituída a partir de 1° de janeiro de 2012, a IN 62 é aplicada a produtores de leite do país e determina novos limites para Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Células Somáticas (CCS). Até dezembro de 2011, esses índices poderiam chegar a 750 mil/ml e a partir da nova IN, a tolerância passou a ser de até 600 mil/ml.

O treinamento será ministrado pela coordenadora do programa, Mariana Urt, pelo instrutor do Senar, Rodney Santos, e pela fiscal de agricultura do MAPA, Elizângela Longo Vendrusco.

Nesta etapa da capacitação, os técnicos receberão atualização sobre a Instrução Normativa 62 do MAPA e revisão dos procedimentos teóricos adotados, como destaca a coordenadora Mariana Urt. “É importante atualizar as informações junto aos técnicos, já que eles terão contato direto com o produtor, através da capacitação e consultoria técnica prevista no programa”, avalia.

Os instrutores também irão conhecer duas novidades que serão utilizadas este ano no programa, a caneta digital e o formulário codificado, que levarão mais segurança na transmissão e armazenamento de informações relacionadas à produção de leite no estado. “Os formulários serão individuais e terão códigos únicos, de acordo com cada propriedade. Já a caneta digital fará a leitura ótica destes formulários e guardará os dados que serão salvos posteriormente em um computador com muito mais segurança, sem a necessidade da digitação destes dados”, ressalta Mariana.

Após a fase teórica, os instrutores receberão atualização prática, com início previsto para o próximo mês.

Fonte: http://www.senarms.org.br/imprensa-relese/impresa-release.php?id=3328

Deixe um comentário

CAPTCHA Image

Reload Image

Assine nossa Newsletter

Arquivos