Navegando em artigos com "Notícias"

MAPA estabelece preços de referência para EGF de leite

jul 14, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Mercado, Notícias, Preços  //  Nenhum Comentário

Foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria nº 142, de 08 de julho de 2015 do Mapa, que estabelece os preços mínimos para o leite. A Conab divulgará em seu site os preços de referência para Empréstimo do Governo Federal (EGF).

Os preços mínimos estabelecidos para o leite foram os seguintes: para a s regiões Sul e Sudeste, R$0,76/litro; para o Centro-Oeste (exceto MT), R$0,74/litro; para o Norte e MT, R$0,68; para o Nordeste, R$0,78.

Abaixo, segue a portaria publicada no Diário Oficial da União

GABINETE DA MINISTRA
PORTARIA N 142, DE 8 DE JULHO DE 2015

A MINISTRA DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, INTERINA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, tendo em vista o disposto no § 1 do art. 5 do Decreto-Lei n 79, de 19 de dezembro de 1966, alterado pela Lei n 11.775, de 17 de setembro de 2008, e o que consta do Processo n 21000.003865/2015-92, resolve:

Art. 1 Publicar os preços mínimos para as culturas de verão das safras 2015/2016 e 2016, para os produtos extrativos e culturas regionais da safra 2015/2016, conforme anexos I a IV desta Portaria, fixados pelo Conselho Monetário Nacional, respectivamente por meio dos Votos CMN 36/2015, 37/2015 e 38/2015.

Art. 2 Os preços mínimos de que trata esta Portaria são estabelecidos em favor dos produtores.

Art. 3 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Abaixo a tabela do ANEXO IV.

foto_menor_preco_mapa

As informações são do DOU.
Fonte:http://www.milkpoint.com.br/cadeia-do-leite/giro-lacteo/mapa-estabelece-os-precos-minimos-do-leite-para-201516-95820n.aspx

 

FAO: produção mundial de leite deverá crescer 2% em 2015

mai 25, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Mercado, Notícias  //  Nenhum Comentário

A produção mundial de leite deverá crescer em 2% em 2015, uma taxa similar à do ano anterior, alcançando 805 milhões de toneladas. A Ásia deverá ser responsável pela maioria do aumento, mas a previsão é que a produção aumente em todas as regiões do globo, de acordo com dados do relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) de maio de 2015.

O comércio de produtos lácteos deverá crescer em 2,7%, para 74 milhões de toneladas de leite equivalente, relacionado a uma previsão favorável de produção de leite na maioria dos países exportadores. A Ásia deve continuar a ser a principal fonte de aumento da demanda internacional, apesar de que o crescimento deverá ser mais lento do que nos últimos anos.

Maiores compras foram previstas para China, Arábia Saudita, Malásia, Emirados Árabes Unidos, Vietnã, Filipinas, Tailândia e Omã. Outros locais na Ásia, como Cingapura, Japão e Coreia continuarão sendo mercados importantes, mas o nível de suas importações não deverá mudar muito e, em alguns casos, poderá cair. Os menores preços internacionais deverão estimular importações na África como um todo. Os principais importadores que poderão ver crescimento são Argélia, Egito e Nigéria. Na Europa, as importações da Rússia deverão cair pelo segundo ano consecutivo.

foto

Para as exportações, os dois principais fornecedores: Nova Zelândia e União Europeia (UE), deverão ver um aumento nas vendas, enquanto os Estados Unidos poderão manter os envios em níveis similares aos do ano anterior.

Os preços dos produtos lácteos começaram 2015 em níveis baixos e, apesar de certo movimento de alta em fevereiro e março, caíram em abril. O Índice de Preços dos Lácteos em abril ficou em 172.

Uma abertura favorável ao ano lácteo de abril-março na UE, combinada com a abolição do sistema de cotas de produção, aumentou as expectativas de ofertas abundantes de exportação. Ao mesmo tempo, as incertezas com relação aos níveis de importação da China durante 2015 e as contínuas proibições comerciais impostas pela Rússia moderaram a demanda e os preços.

foto (1)

As informações são da FAO.

Fonte: http://www.milkpoint.com.br/cadeia-do-leite/giro-lacteo/fao-producao-mundial-de-leite-devera-crescer-2-em-2015-94872n.aspx

Identificador de substâncias tóxicas no leite

mai 25, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Mercado, Notícias, Qualidade  //  Nenhum Comentário

unnamed

Joana Meneguzzo Pasquali, vencedora na categoria Ensino Médio do Prêmio Jovem Cientista – ANDRE COELHO / Agência O Globo

Uma fita feita com filtro de coar café embebida em reagentes químicos que mostra a presença de substâncias tóxicas no leite em apenas um minuto. Com esta invenção simples e barata, já que cada kit sai ao preço de R$ 4,31, Joana Meneguzzo Pasquali, de 17 anos, ganhou o prêmio Jovem Cientista, na categoria estudante do ensino médio. O anúncio dos vencedores foi feito nesta quinta-feira em Brasília, na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Em sua 28ª edição, a premiação abordou o tema segurança alimentar e nutricional.

A primeira colocada na categoria mestre e doutor, Bárbara Rita Cardoso, da Universidade de São Paulo (USP), está na Espanha, mas participou da cerimônia por videoncoferência. Ela falou sobre o seu estudo vencedor, que mostrou o impacto positivo da ingestão diária de uma uma castanha-do-brasil entre idosos com dificuldades cognitivas. Ao final dos experimentos, os testes indicaram mudanças positivas na fluência verbal e capacidade de raciocínio do grupo testado.

O projeto vencedor na categoria estudante do ensino superior surgiu de uma inquietação do aluno de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Deloan Edberto Mattos Perini, ao passar por tantos loteamentos vazios na cidade gaúcha de Erechim. Ele bolou um plano de agricultura urbana de acordo com as necessidades do município, dentro dos 13.500 metros quadrados identificados, de onde poderão sair 60 mil quilos de alimentos por mês.

Esteve presente na cerimônia a segunda colocada na categoria mestre e doutor, Camila Maranha Paes de Carvalho, que desenvolveu na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) uma proposta de avaliação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) para municípios fluminenses. Camila, assim como os outros agraciados, falaram da importância de buscar soluções para os problemas do país por meio da ciência.

A inventora do identificador de substâncias tóxicas no leite, batizado de Detectox, se inspirou em casos de adulteração da bebida, inclusive as de marca renomadas, noticiados desde o ano passado.

– Esses casos de contaminação atingiram de forma muito forte a minha região. Então eu resolvi buscar conhecimentos, procurei ajuda de professores, estudei alguns conteúdos de química que eu não sabia, para desenvolver um marcador de três tipos de substâncias tóxicas: formol, soda cáustica e amidos – conta Joana.

Com a fita na mão, ela explica que se trata ainda de um protótipo. Diz que precisa fazer ajustes e aperfeiçoamentos antes de pensar em produzir o Detectox em escala industrial. Ano passado, quando fez o projeto, Joana estudava no Colégio Mutirão, em São Marcos (RS), uma escola privada sem fins lucrativos, onde cursava o 3º ano do ensino médio. Agora, faz Engenharia de Materiais na Universidade de Caxias do Sul.

Para o presidente do CNPq, Hernán Cháimovich, a segurança alimentar e nutricional, tema da edição atual do prêmio, é abrangente e perpassa os direitos mais básicos das pessoas. Ele destaca que os projetos de pesquisa, ao se debruçarem sobre o assunto, contribuem na busca do bem-estar da população para uma vida produtiva.

– Todos os brasileiros têm direito ao alimento que seja suficiente para uma vida salutar e que seja seguro. Nós não podemos ter mais brasileiros que não sabem se e quando terão acesso a alimento – afirmou Hernán.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/estudante-ganha-premio-jovem-cientista-com-fita-que-identifica-substancias-toxicas-no-leite-16222785#ixzz3atbGd2gk

Visite Polo do Leite em: http://polodoleite.com.br/?xg_source=msg_mes_network

Agricultura quer incluir segmento do leite no programa de exportações

mai 24, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Mercado, Notícias, Preços  //  Nenhum Comentário

Plano do governo deve ser anunciado depois da divulgação do Plano Safra

O Plano Nacional de Exportações deve ser lançado até a segunda semana de junho, depois da divulgação do Plano Safra 2015/2016, prevista para o próximo dia 2. O Ministério da Agricultura prepara uma proposta para incluir no projeto o segmento do leite. A exportação do produto brasileiro hoje corresponde a apenas 1% da produção.

Questionada sobre a participação da Agricultura no projeto de exportação, a ministra Kátia Abreu disse que enquanto a produção cresce 5% ao ano o consumo avança apenas 3%. “Precisamos arrumar mercado para esse produto”, disse.

O desenho final do programa de exportação, no entanto, enfrenta o desafio do ajuste fiscal e o impasse quanto ao volume de recursos continua. O Ministério da Fazenda, de um lado, quer diminuir subsídios aos exportadores, o do Desenvolvimento, por outro, quer mais recursos.

O plano reúne um conjunto de medidas para estimular e desburocratizar as exportações. Uma das metas é atingir cerca de 30 países considerados “estratégicos” para as exportações brasileiras. Entre as prioridades do programa estão a concessão de créditos para exportação, a adoção de medidas de facilitação de comércio e a utilização de ferramentas de inteligência comercial.

Fonte: http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Economia-e-Negocios/noticia/2015/05/agricultura-quer-incluir-segmento-do-leite-no-programa-de-exportacoes.html

Resultado do Ranking dos maiores laticínios do Brasil

mai 7, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Blog, Gestão, Mercado, Notícias  //  Nenhum Comentário

Foi divulgado nessa quinta-feira (30/04) pela Leite Brasil o resultado do Ranking dos maiores laticínios do Brasil. O Ranking dessa vez mostrou as 13 maiores empresas do setor (no levantamento anterior, figuraram 12 empresas), que tiveram um crescimento de 8,9% na captação de leite, somando um total de 9,4 bilhões de litros. Se considerarmos somente as 12 primeiras, para que a comparação dos dados seja possível, o crescimento reportado foi de 5,9%; um pouco acima do aumento de 5% na captação formal de leite que ocorreu em 2014.

A estimativa da capacidade instalada de processamento de leite das empresas do ranking 2014 foi de 14.219.087 mil litros ao ano, ou seja, os 13 maiores laticínios do Brasil usaram cerca de 66% da sua capacidade. Em 2013, a capacidade utilizada foi de 70,6%, o que demonstra que houve maior ociosidade no ano passado.

A produção diária do produtor médio destas empresas cresceu 1,1% – o crescimento foi bem menos vigoroso que no Ranking anterior (7,7%). A média de produção por produtor foi de 314 litros/dia contra 311 do levantamento anterior. Entretanto, o número de produtores fornecedores de 2013 para 2014 aumentou quase 10%.

A DPA (joint venture entre Nestlé e Fonterra) manteve a primeira colocação no Ranking, apesar de ter tido um decréscimo de 1,6% em relação a 2013, captando um total 2 bilhões de litros. No ranking anterior, havia apresentado um aumento de 7,7% na captação em comparação a 2012. Em 2014, a joint venture foi desfeita, mas o dado ainda leva em conta a captação de Nestlé e DPA como um só.

No segundo lugar, a BRF melhorou sua situação em relação ao último ranking: de 2012 para 2013 teve uma variação de -10,4%, já de 2013 para 2014 sua variação foi positiva (3,4%), tendo captado 1.424.626.000 litros em 2014. A divisão de lácteos da BRF foi vendida para a francesa Lactalis em 2014. Recentemente, o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a transação, que envolveu R$1,8 bilhão.

A Itambé, Laticínios Bela Vista e Embaré mantiveram as mesmas posições do ranking anterior: 3º, 4º e 6º lugar, respectivamente. Laticínios Bela Vista teve o segundo maior crescimento de 2013 para 2014: 24,6%, passando de 1 bilhão de litros recebidos no ano passado.

O 5º colocado, união das cooperativas Castrolanda, Batavo e Capal apresentou o crescimento mais vigoroso: 39,6%, passando de 548 milhões de litros em 2013 para quase 766 milhões de litros captados em 2014. Em 2013 a Capal não foi contabilizada no levantamento.

A Aurora não havia informado o volume no ranking anterior, figurando agora em 7º lugar.

Dentre as 13 empresas do ranking, 5 são cooperativas (Castrolanda & Cia ; Aurora; Confepar; Centroleite e Frimesa), 6 são empresas nacionais (BRF; Itambé, Laticínios Bela Vista; Embaré; Jussara e Vigor) e 2 são multinacionais estrangeiras (DPA, que era a joint venture entre Fonterra e Nestlé; e Danone).

Abaixo é possível conferir o Ranking dos maiores laticínios do Brasil na íntegra.

 

(1) Classificação base recepção (produtores + terceiros) no ano de 2014
(2) Volume das empresas do Grupo Nestlé/DPA
(3) O total de terceiros não inclui o leite recebido de participantes do ranking devido a duplicidade
(4) As três cooperativas praticam um modelo de intercooperação no segmento de lácteos

Fonte: LEITE BRASIL, CNA, OCB, CBCL, VIVA LÁCTEOS e EMBRAPA/Gado de Leite

*A Italac não figurou no Ranking Leite Brasil desse ano, embora o volume processado pela empresa muito possivelmente a colocaria entre os maiores produtores.

Equipe MilkPoint, com informações da Leite Brasil.

GO: deputado apresenta projeto que isenta ICMS de pequeno produtor de leite

mai 7, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Blog, Notícias  //  Nenhum Comentário

Projeto de lei apresentado pelo deputado Lucas Calil (PSL) propõe alteração na Lei n° 13.453 de 1999, que autoriza a concessão de crédito outorgado e redução da base de cálculo do ICMS para o pequeno e médio produtor rural na aquisição de gerador de energia elétrica.

De acordo com justificativa do parlamentar, o objetivo é estimular o setor leiteiro de Goiás, principalmente pequenos e médios produtores que não têm os mesmos mecanismos de defesa da concorrência de que dispõem os grandes. “Assim em um mercado cada vez mais competitivo, o pequeno produtor de leite experimenta situação de grande dificuldade, qual seja: alto custo para produzir e baixo preço de venda”, comenta Calil.

Para o deputado, com essa iniciativa busca-se contribuir para a redução dos custos de produção do pequeno produtor de leite e assegurar a oferta de energia elétrica na propriedade de tais produtores, de maneira a reduzir as perdas com a falta dela.

As informações são do Jornal Diário da Manhã.

Fonte:http://www.milkpoint.com.br/cadeia-do-leite/giro-lacteo/go-deputado-apresenta-projeto-que-isenta-icms-de-pequeno-produtor-de-leite-94648n.aspx

Audiência discute consumo e produção de leite no país

mai 7, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Blog, Eventos, Notícias  //  Nenhum Comentário

O consumo de leite no País e as linhas de crédito e financiamento do setor serão discutidas nesta terça-feira (5) em audiência pública na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Um relatório aprovado pela comissão, em 2013, já sugeria a elaboração de uma política nacional para a cadeia produtiva do leite. A intenção era garantir especialmente uma remuneração justa ao produtor rural.

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de leite e a produção vem crescendo. No ano passado, nos nove primeiros meses do ano, a produção aumentou 7% em relação ao mesmo período de 2013, de acordo com o IBGE. O consumo, no entanto, não tem acompanhado esse crescimento. De acordo com o Ministério da Agricultura, o consumo doméstico aumentou apenas 2% no ano passado.

Em março deste ano, o ministério anunciou que prepara um conjunto de ações para estimular a produção e o consumo do leite. O novo programa busca aumentar a qualidade do leite, ampliar as exportações e capacitar trabalhadores e produtores dos cinco principais estados que garantem o abastecimento do País: Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Debatedores

Foram convidados para discutir o assunto:

– o diretor-presidente da Agência de Vigilância Santiária (Anvisa), Jaime César de Moura Oliveira;

– o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Filho;

– o diretor-executivo da Associação Brasileira de Laticínios – Viva Lácteos, Marcelo Martins da Costa;

– o representante da Associação Brasileira de Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios Wilson Massote Primo; e

– um representante do Ministério da Agricultura.

O debate, proposto pelo deputado Celso Maldaner (PMDB-SC), será realizado no plenário 6 a partir das 14h30.

As informações são da Agência Câmara Notícias.

 

Fonte: http://www.milkpoint.com.br/cadeia-do-leite/giro-lacteo/audiencia-discute-consumo-e-producao-de-leite-no-pais-94653n.aspx

Vote na Girolando para o Troféu Agroleite

mai 5, 2015   //   de Leite Brasil   //   Blog, Blog, Eventos, Gestão, Girolando, Mercado, Notícias  //  Nenhum Comentário

Uma das premiações mais importantes do setor leiteiro, o Troféu Agroleite está com votação aberta para a escolha das melhores empresas e entidades de cada segmento.

Troféu Agroleite

A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando concorre na categoria Associação de Produtor.

Serão premiados os mais votados em cada categoria.

Para votar acesse o site http://www.agroleitecastrolanda.com.br/trofeu-agroleite/indicacao

Preencha seu dados de cadastro (nome, cpf, email, profissão ).

No seguimento de  “PRESTADORES DE SERVIÇOS” ,preencha no campo ” ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES ” o nome “ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO ” e justifique sua escolha.
Ex.A raça que responde por 80% da produção de leite no Brasil.

OBS: Não é necessário votar em todos os outros campos.

Digite do código ao fim da página e clique em ENVIAR.

Contamos com sua ajuda para conquistarmos esse prêmio.

A votação é aberta para todas as pessoas físicas e o uso do CPF (Cadastro de Pessoa Física) validado na Receita Federal garante a segurança do registrar apenas um (1) voto por pessoa. O período das votações será de 26/01/2015 a 31/08/2015.

A premiação foi criada em 2002, com o objetivo de homenagear os maiores e melhores destaques dos segmentos ligados a cadeia do leite como forma de reconhecimento e valorização da contribuição de cada um em todas as etapas de produção, desde as atividades desenvolvidas da porteira para dentro, até aquelas voltadas ao consumidor final.

O Troféu Agroleite é entregue anualmente em cerimônia no Memorial da Imigração Holandesa na Castrolanda, em Castro (PR), aos que mais se destacaram no ano anterior.

Empossada nova diretoria da Girolando

mar 14, 2014   //   de admin   //   Blog, Eventos, Girolando, Mercado, Notícias  //  Nenhum Comentário

direitoria_girolando

Com a presença de quase 500 pessoas, a nova diretoria da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando tomou posse na última sexta-feira (24/01/14) no Centro de Eventos Rômulo Kardec de Camargos, em Uberaba (MG). Também tomaram posse os membros dos Conselhos Fiscal, Consultivo e de Representantes Estaduais. A entidade passa a ser comandada pelo agrônomo e criador Jônadan Hsuan Min Ma, que em seu discurso de posse destacou a necessidade da associação estar mais presente e participativa na vida dos associados e criadores da raça Girolando. “Na maior eleição da história da Girolando, foi plantado o ideal de transformação. Nós nos comprometemos a entregar a todos os associados o direito de participarem e serem representados pelos que aqui tomam posse conosco, decidindo os melhores rumos a serem trilhados pela Girolando. O meu ideal aqui é colocar a raça Girolando no patamar mais alto das raças leiteiras no Brasil e difundir esta raça para todo o mundo.”, afirmou o presidente da Girolando. Durante a solenidade, o Jônadan Ma foi homenageado com uma placa pelo presidente da cooperativa Certrim Luiz Henrique Borges Fernandes.

A solenidade contou com a participação de criadores de todo o país e diversas autoridades, dentre elas: o secretário de Estado de Agricultura de Minas Gerais, José Silva, o prefeito de Uberaba Paulo Piau, os deputados estaduais Adelmo Carneiro Leão, Antônio Lerin, João Bosco e Tony Carlos, o deputado federal Marcos Montes, representando o presidente da Câmara Municipal o vereador Marcelo Borjão, o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) Luiz Claudio Paranhos, além de diversos prefeitos de outras cidades, vereadores e lideranças do agronegócio.

Os planos de ação da nova diretoria da Girolando foram traçados durante dois dias, na quinta-feira e dia da posse. Participaram das reuniões os diretores e membros dos conselhos. Foram analisadas as reivindicações feitas por criadores de todo o Brasil durante o período da campanha eleitoral e definidas quais são viáveis para serem implantadas.

Além do presidente Jônadan Ma integram a atual diretoria: 1º vice-presidente Magnólia Martins da Silva, 2º vice-presidente Nelson Ariza, 3º vice-presidente João Domingos Gomes dos Santos, 4º vice-presidente Olavo de Resende Barros Júnior, 1º diretor-administrativo José Antônio da Silva Clemente, 2º diretor-administrativo Jorge Luiz Mendonça Sampaio, 1º diretor-financeiro Luiz Carlos Rodrigues, 2º diretor-financeiro Odilon de Rezende Barbosa Filho, Relações Institucionais e Comerciais Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro.

Confira abaixo a íntegra do discurso do presidente Jônadan Hsuan Min Ma

Caros amigos e companheiros,

Eu não sou um sonhador !

Eu apenas trago dentro de mim um ideal, latente, ardente!

O meu ideal tem cheiro de progresso, tem a consistência das rochas, tem a agilidade da corça, tem o sabor da modernidade, tem a sensibilidade da luz e a convicção de que apenas aqueles que acreditam, tem Esperança e Forças para lutar.

O meu ideal aqui não é tecer uma rede de promessas, mas é fazer o possível e o necessário e por que não, o impossível. É o de colocar a raça Girolando no patamar mais alto das raças leiteiras no Brasil e difundir esta raça para todo o mundo. Afinal, se produzimos mais de oitenta por cento do leite consumido neste país, porque não afirmarmos que a raça Girolando é a maior raça leiteira tropical do mundo?

Comecei propalando o meu ideal e aos poucos fui descobrindo que muitos traziam guardados nos recônditos de suas almas, muita insatisfação e um imenso desejo de mudanças, de transformação.

Nascia então deste ideal: o projeto de Renovação.

Então nos propusemos um desafio:

Tornar a nossa Girolando, uma Associação: Forte, Presente e Participativa.

Forte porque a raça só será forte com um associado forte. Forte e valorizado!

Presente porque estaremos onde o produtor mais precisa: Ao seu lado!

Participativa porque o associado deverá participar da vida da Associação e dos seus rumos e a tenha como a sua própria casa.

Na maior eleição da história da Girolando, foi plantado o ideal de transformação. E com este ideal, também se agregou o compromisso de atender aos anseios de tantos associados, que viram neste grupo comprometido e coeso, os construtores do caminho para um pleno progresso e crescimento da raça.

Nos comprometemos a entregar a todos os associados o direito de participarem e serem representados pelos que aqui tomam posse conosco, decidindo os melhores rumos a serem trilhados pela Girolando.

Por isso conclamo neste momento a todos companheiros da Diretoria e Conselhos, para que juntos e com a mesma garra, possamos:

Renovar o estado de espírito de nossos associados,

Renovar as forças que nos movem como teimosos produtores de leite e de Girolando,

Renovar a alegria e a auto-estima em ser produtor rural e pecuarista,

Renovar as metas para tornar esta Associação do tamanho da Raça, no Brasil e no Mundo!

A Girolando neste ano de 2014, irá comemorar o seu Jubileu de Prata, portanto está avançando para a sua maturidade.

Vamos transformar esta data num marco histórico, que irá alavancar a Girolando para assumir verdadeiramente o posto que ela merece estar, que é o de ser a raça leiteira genuinamente brasileira, reconhecida e valorizada em todo o planeta.

Isto não é um sonho, caros colegas produtores e amigos!

Isto é um ideal !

Neste momento, conclamo a todos vocês associados, colaboradores, parceiros e amigos da Girolando, para que unidos trabalhemos para concretizar este ideal, que agora é de todos nós.

O ideal de melhor raça.

O ideal de melhor Associação.

O ideal de produzir o melhor leite.

O ideal de termos a melhor genética.

O ideal enfim, de sentir em cada associado o sorriso abonador de que estamos no caminho certo.

O ideal de sermos vencedores nesta árdua batalha que dia a dia empreendemos para tornar nossas vidas melhores, e deixarmos um mundo melhor para as gerações que virão.

Peço a Deus a sabedoria e a humildade necessária para conduzir esta Associação, nesta nobre e desafiadora tarefa pelos próximos três anos.

Preciso de cada um de vocês nesta nossa caminhada.

Porque JUNTOS podemos muito MAIS!

Que Deus nos ilumine e nos abençoe !

Eleições da Girolando 2013 – RENOVAÇÃO

out 9, 2013   //   de admin   //   Blog, Girolando, Notícias  //  Nenhum Comentário

Por que disputaremos as eleições da Girolando?

 

O grupo de criadores e produtores de leite formado para concorrer nas eleições da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, para o triênio 2014-2016, está focado no mesmo objetivo: Uma GIROLANDO mais FORTE, PRESENTE e PARTICIPATIVA.

Como faremos isso?

– VALORIZANDO A RAÇA, SEUS ASSOCIADOS, TÉCNICOS E COLABORADORES: O ASSOCIADO.

Durante os caminhos percorridos pelos membros da chapa RENOVAÇÃO, de Norte a Sul do País, eles reconheceram que a raça Girolando está sendo muito bem valorizada, crescendo e conquistando novos mercados.

No entanto, o talento humano do associado, que dá vida a essa raça maravilhosa, não. Os mais 2.800 associados, espalhados em cada cantinho deste Brasil, dentro da sua pequena ou média propriedade, está isolado, sem a devida atenção que merece, muitas vezes desprestigiado. Percebe-se uma distância entre diretores e associados, uma dificuldade de se sentir à vontade dentro da Associação, que, na realidade, deveria ser uma extensão da fazenda de cada criador de Girolando.

Não basta se lembrar do associado apenas na hora de fazer o registro.

Ele deve participar mais, pois todos têm suas dificuldades e suas carências. Têm também anseios, ideias e sugestões para que se possa produzir leite de forma profissional e se ter acesso ao mercado de leite e genética.

NOSSOS TÉCNICOS E COLABORADORES
Os técnicos da casa não são apenas registradores de animais: são homens e mulheres inteligentes, treinados, capazes de orientar o associado no tratamento de um gado melhor.

A equipe tem condições de fazer com que o rebanho do associado produza leite de maior qualidade e construa um rebanho mais padronizado, que, no final do mês, dá mais lucro. A valorização e o reconhecimento dos técnicos e colaboradores da entidade lhes despertarão paixão por seu trabalho, fazendo com que atendam muito melhor ao associado.

Por outro lado, quem recebe uma boa orientação se sente prestigiado, assessorado por uma Associação que proporcione vantagens, e não apenas papeis.

O Girolando chegou até aqui por méritos de grande raça. É, indubitavelmente, o gado mais indicado para se produzir leite nos trópicos. No Brasil, ele está literalmente em casa. Mas por trás dessa raça existem pessoas que lutam diariamente, que enfrentam quaisquer intempéries para produzir um dos alimentos mais importantes para a vida. Sem criadores de Girolando, não existiria raça, nem Associação.

Muito provavelmente, a produção de leite não daria para abastecer a família brasileira.

O Girolando merece destaque, mas o homem que faz essa raça merece reconhecimento, aplausos, e uma Associação que lute para que ele consiga (e mantenha) um preço justo pelo que produz, pelo insumo que adquire, nos programas de melhoramento genético, no mercado, no teste de progênie.

Enfim, o associado tem que crescer junto com a raça, independentemente do tamanho da sua produção, da localização da sua fazenda, do seu relacionamento, ou da sua movimentação financeira. Nossa prioridade é você, criador associado.

Porque também somos parte dessa paixão que desconhece cercas e limites: a paixão pelo Girolando.

CHAPA RENOVAÇÃO GIROLANDO 2014-2016

PRESIDENTE:
Jônadan Hsuan Min Ma
1º. VICE-PRESIDENTE:
Magnólia Martins da Silva
2º. VICE-PRESIDENTE:
Nelson Ariza
3º. VICE-PRESIDENTE:
João Domingos Gomes dos Santos
4º. VICE-PRESIDENTE:
Olavo de Resende Barrros Junior
1º. DIRETOR-ADMINISTRATIVO:
José Antônio da Silva Clemente
2º. DIRETOR-ADMINISTRATIVO:
Jorge Luiz Mendonça Sampaio
1º. DIRETOR-FINANCEIRO:
Luiz Carlos Rodrigues
2º. DIRETOR-FINANCEIRO:
Odilon de Rezende Barbosa Filho
DIRETOR RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E COMERCIAIS:
Ronan Rinaldi de Souza Salgueiro

CONSELHO FISCAL:
Thiago Bianchi Silveira
Alexandre Honorato
Ricardo Miziara Jreige

SUPLENTES CONSELHO FISCAL:
Afonso Celso de Resende
Eire Enio de Freitas
Roberto Almeida Oliveira

CONSELHO CONSULTIVO:
Everardo Leonel Hostalacio
Renato da Cunha Oliveira
José Geraldo Vaz Almeida
Roberto Antônio Pinto de Melo Carvalho
Marcelo Machado Borges

SUPLENTES DO CONSELHO CONSULTIVO:
Aurora Trefzger Cinato Real
Silvio de Castro Cunha Júnior
Leonardo Xavier Gonçalves
Jose Ricado Fiuza Horta
Guilherme Marques de Resende

REPRESENTANTES ESTADUAIS DO MS
Adão Paes Sandim
Anizio Manoel da Silva ( Paranaíba )
Nilo Alves Ferraz ( Paranaíba )

Estudo “esclarece” ligação de produtos lácteos e saúde óssea

jun 21, 2013   //   de admin   //   Blog, Notícias  //  Nenhum Comentário

Os produtos lácteos são uma fonte complexa de nutrientes essenciais, mas nem todos são igualmente benéficos para o esqueleto.

São Paulo – A composição dos nutrientes varia entre os alimentos lácteos. Ingerir leite desnatado ou iogurte (e não ingerir creme de leite) pode aumentar a ingestão de proteínas, cálcio e vitamina D, limitando a ingestão de gorduras saturadas Um estudo realizado por pesquisadores do Institute for Aging Research (IFAR), um afiliado da Harvard Medical School (HMS), descobriu que a ingestão de laticínios – especialmente leite e iogurte – está associada com uma maior densidade mineral óssea (DMO) do quadril, mas não da coluna vertebral. Já o creme de leite, por outro lado, pode estar associado com uma menor DMO total. Publicado na revista Archives of Osteoporosis, o estudo sugere que nem todos os produtos lácteos são igualmente benéficos para promover a saúde dos ossos.

De acordo com os pesquisadores, os laticínios fornecem diversos nutrientes importantes que são benéficos para a saúde óssea. No entanto, o creme de leite e seus derivados, tais como sorvetes, apresentam baixos níveis desses nutrientes e têm altos níveis de gordura e açúcar”, informa o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, diretor do Iredo, Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares.

Segundo os resultados da pesquisa, 2,5-3 porções de leite e de iogurte por dia foram associadas a uma melhor densidade óssea. Mais pesquisas são necessárias para examinar o papel da ingestão do queijo (alguns dos quais podem ser ricos em gordura e de sódio) e se os alimentos lácteos individualmente têm um impacto significativo na redução de fraturas.

Os pesquisadores basearam suas conclusões em dados coletados a partir de um questionário de frequência alimentar preenchido por 3.212 participantes do Framingham Offspring Study. Eles compararam a ingestão de laticínios dos participantes com sua densidade mineral óssea, o que revelou os benefícios do leite e do iogurte e os malefícios do creme de leite para grande parte dos homens e mulheres de meia idade que participaram do estudo.“Segundo o estudo, a composição dos nutrientes varia entre os alimentos lácteos. Ingerir leite desnatado ou iogurte (e não ingerir creme de leite) pode aumentar a ingestão de proteínas, cálcio e vitamina D, limitando a ingestão de gorduras saturadas”, diz o médico.

Este estudo é um exemplo de uma área de pesquisa em crescimento, focada na relação entre a nutrição e saúde dos ossos. Estudos anteriores sugerem que os produtos lácteos contêm mais do que um nutriente benéfico, e por esta razão, alguns produtos lácteos podem contribuir mais para a manutenção dos ossos saudáveis. “Pesquisas como esta apoiam a ideia de que a nutrição adequada pode ajudar a combater a osteoporose e as fraturas”, afirma o reumatologista.

Fonte: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/saude/noticias/estudo-esclarece-ligacao-de-produtos-lacteos-e-saude-ossea

12 regras de ouro para ordenha

jun 10, 2013   //   de admin   //   Blog, Notícias, Qualidade  //  Nenhum Comentário
1. Monitore regularmente
a saúde do úbere
2. Ordem da ordenha 3. Tetos e extremidades dos tetos limpos 4. Sempre retire um primeiro jato de leite
12 regras de ouro para ordenha, passo 1 12 regras de ouro para ordenha, passo 2 12 regras de ouro para ordenha, passo 4 12 regras de ouro para ordenha, passo 3
– Verifique regularmente toda
saúde do úbere
e qualidade do leite
informações fornecidas
pelo laticínio,
organizações de teste oficial, clínicas veterinárias e em testes da fazenda usando o contador de células DeLaval
(DCC) ou o Califórnia Mastite Teste (CMT). 

– Desenvolva referências para cada vaca e rebanho para ajudar no monitoramento
de mudanças que podem ocorrer.

– Independentemente do sistema de alojamento ou tamanho do rebanho, ordenhe primeiramente as novilhas, depois as vacas recém-paridas e em seguida o rebanho principal. 

– Ordenhe as vacas doentes por último e em seguida lave e higienize o sistema de ordenha.

– Para controlar a mastite e produzir leite de alta qualidade, é preciso que as vacas tenham os tetos limpos e secos quando as unidades são acopladas. Limpe cada teto e extremidade do teto com materiais aprovados. Seque cada teto usando papel descartável ou toalhas de pano, uma por vaca. Se forem utilizadas toalhas de pano, elas devem ser lavadas e secas antes de serem reutilizadas. – Retire 2 a 3 jatos de colostro e examine-o. Em instalações em sala de ordenha e baia de laço use uma caneca com peneira. Lave o chão da sala de ordenha antes da entrada do grupo de vacas seguinte. 

– O colostro fornece um sinal importante para iniciar a ejeção do leite e fornece uma oportunidade para detectar e evitar a entrada de leite anormal no tanque.

Nunca comece o procedimento da ordenha com a limpeza dos tetos! O resultado é que os germes do canal da teta se moverão mais para dentro do úbere. Sempre comece com o colostro

Durante a ordenha

5. Verifique o sistema da ordenha 6. Acople o conjunto da ordenha no momento adequado 7. Evite a sobreordenha 8. Garanta a remoção adequada do conjunto de ordenha
12 regras de ouro para ordenha, passo 5 12 regras de ouro para ordenha, passo 6 12 regras de ouro para ordenha, passo 7 12 regras de ouro para ordenha, passo 12
– Selecione um nível de vácuo e sistema de pulsação apropriados para a fazenda e faça a instalação de acordo com as especificações da DeLaval. 

– Sempre verifique o nível de vácuo no início de cada ordenha.

 

– As unidades de ordenha devem ser acopladas dentro de 60 a 90 segundos de todos os procedimentos de preparação da teta. 

– Minimize entradas de ar durante o acoplamento do conjunto de ordenha.

– Ajuste o conjunto de ordenha de forma que esteja equilibrado entre a parte da frente e a de trás, e entre os lados, sem torção.

 

– A sobreordenha é considerada como causa principal da hiperqueratose da extremidade do teto. Quando o úbere tiver sido esvaziado satisfatoriamente, a unidade de ordenha deve ser removida. Isso pode ser detectado por observação manual ou, em sistemas com ACRs, permitindo que os sensores de fluxo detectem o fluxo baixo e direcionem a remoção automática do conjunto de ordenha. Sistemas de ordenha controlados pelo fluxo fornecem uma indicação visual quando for obtido fluxo baixo. – Quando a ordenha estiver concluída, o vácuo para o conjunto de ordenha pode ser desligado manual ou automaticamente. Deixe que o vácuo do coletor abaixe completamente antes de retirar a unidade. NÃO comprima o úbere nem puxe as unidades de ordenha, pois isso pode levar à entrada de ar na teteira, o que tem sido relacionado a novos casos de mastite. 

 

 

Após a ordenha

9. Higienize os tetos após cada ordenha 10. Limpe o equipamento de ordenha imediatamente após a ordenha 11. Resfrie o leite adequadamente 12. Monitore regularmente a qualidade do leite e do equipamento de ordenha, assim como os dados sobre o desempenho da ordenha.
imersão do teto 12 regras de ouro para ordenha, passo 10 12 regras de ouro para ordenha, passo 11 12 regras de ouro para ordenha, passo 12
– Assim que possível após a remoção da unidade, faça a higienização de cada teto com um banho pós-ordenha ou pulverização do teto aprovados. Este é o procedimento mais eficaz para evitar que organismos contagiosos de mastite se disseminem entre as vacas. 

 

– Limpe as superfícies exteriores do sistema de ordenha. 

– Após cada uso, enxágue e limpe, manual ou automaticamente, todos os componentes do sistema usando produtos adequados na temperatura apropriada. Deixe que o sistema seque.

– Quando necessário, higienize o sistema antes da ordenha seguinte usando higienizadores na diluição adequada.

– Verifique as temperaturas de resfriamento para certificar-se de que estão sendo alcançadas temperaturas adequadas durante e depois de cada ordenha. 

– Temperaturas de refrigeração adequadas diminuem imensamente ou paralisam o crescimento da maioria das bactérias.

 

 

– Analise regularmente todas as informações sobre qualidade do leite, composição do leite e desempenho do centro de ordenha e compare-as com dados históricos. 

– Substitua as teteiras e artigos de borracha de acordo com as recomendações. Artigos de borracha antigos apresentam rachaduras e se tornam porosos, o que influencia no desempenho da ordenha e aumenta o risco de acúmulo de terra e bactérias. Tais problemas podem levar a aumento da duração da ordenha e a aumento de contagem de bactérias.

– Faça a manutenção regular do sistema de ordenha completo, de acordo com as recomendações da DeLaval.

 

Fonte: http://www.delaval.com.br/-/Dairy-knowledge-and-advice/12-golden-rules-for-milking/#.UbKLIbh5gKw.facebook

Páginas:12345»

Assine nossa Newsletter

Arquivos